Posts filed under ‘umbiguices’

Acabou.

Acho que eu não preciso avisar que esse blog acabou, mas em todo caso vai lá: esse blog acabou.

Agora eu escrevo em outras paragens. Continuo dando pitacos domésticos no Deusa Doméstica every once in a while. E começa hoje a mais nova experiência (aquela novidade de que eu falei aqui): o Conversa de Psicólogo.

No Conversa de Psicólogo você encontra pitacos sobre a formação e a atuação do Psicólogo, saúde mental, curiosidades sobre A MEEEEEENTE (como dizia minha professora de Behaviorismo). Você também pode mandar suas perguntas, dúvidas e sugestões de como trazer a Psicologia para perto das pessoas.

É isso. Agora que meu blog veio, não faz muito sentido continuar aqui. Foram quase dois anos muito bacanas e vocês, que lêem, deram sentido pra coisa toda. Mas tá na hora de fechar esse capítulo para o outro entrar.

Até lá!

quarta-feira, 27 agosto at 12:00 am Deixe um comentário

A soma de tudo que vejo

E aí estava eu, linda e saltitante, no supermercado. Enquanto eu escolhia tomates, começou a tocar Meu Reino, do Biquíni Cavadão. Como se fosse um túnel pintado com espirais de cores loucas, eu fui para 1990. Ou 1991, sei lá. Lá fui eu, pro tempo em que eu achava o Bruno o cara mais lindo do universo, só porque ele tinha cabelo cobrinha.

::.

Assistindo a reportagem do Fantástico sobre a Amy Winehouse, um amigo comentou: “ah, ela vai ficar igual à Britney” ao que outra, prontamente, respondeu: “Não, a Britney é histérica. A Amy é dependente.”

E aí eu me pego pensando em como tem mulher histérica no mundo. Não só mulher, para não parecer misoginia, mas tem tanta né? Seja a Britney que surta e raspa o cabelo (e ganha música do I’m from Barcelona) ou a outra maluca que, há um bom tempo, resolveu me atacar porque eu, supostamente, teria tentado atrapalhar o namoro dela. Deuses dos meus céus, como tem mulher histérica no mundo… E o pior é que a maioria não se dá conta disso. Então, filhota, prestenção na tia: histeria não é personalidade, é PROBLEMA de personalidade.. Se vc anda surtando por aí, vai se tratar…

Eu sempre quis falar isso aqui no blog, mas não queria falar à época porque recibo é o maior combustível de histeria. Hoje eu lembrei e deu vontade. Histéricas, hmpft…

E, apesar de engraçadolho, esse bolão para adivinhar quando a Amy vai morrer é mórbido. Em todo caso, se você acha que leva jeito pra mãe-dinah, dá uma passada lá que você pode ganhar um iPod touch.

::.

Você já está participando da promoção do Efetividade? E a promoção do Deusa Doméstica? Tudo bem que eu não vou dar microondas nem EeePC, mas tem um e-livro bem bacaninha para aqueles dias só de microondas e ainda vai ter um apetrecho microondístico tchananãs para a história mais legal.

::.

Já que eu comecei falando deles. Aí vai: Biquíni Cavadão tocando Meu Reino…

sexta-feira, 27 junho at 3:56 pm 1 comentário

O Efetividade.net faz mais um aniversário…

E daí que eu conheço o Augusto desde antes de ontem, quando nós frequentávamos o mesmo canal de IRC. Mas ele não era Augusto, era Brain, e vivia dizendo que “op não é status, é responsabilidade”. Naquela época já era visível que ele era um cara de boas idéias…

Até que um dia, sem mais nem menos, eu caí no Efetividade. E quem faz o Efetividade? O Augusto, olha só! O Efetividade é um dos blogs mais úteis desse Brasil: procure um post ali que seja irrelevante, você não vai achar.

Enfim, enfim… Ano passado, a promoção de aniversário do Efetividade pedia que as pessoas escrevessem posts na temática do blog: eu ganhei o segundo lugar com um post do Deusa Doméstica e ganhei um livro bem bacana: Lifehacker – 88 tech tricks to turbocharge your day. Quando o Augusto anunciou a promoção desse ano, eu fiquei toda faceira esperando.

Esse ano, além de presentear os leitores, o Augusto vai contribuir com dois projetos que facilitam o nosso dia-a-dia online. Um deles é a Wikipedia e o outro vai ser escolhido pelos participantes da promoção. Para participar é muito fácil: basta você fazer um post no seu blog indicando a promoção. Os vencedores serão sorteados e os prêmios, olha o que o Augusto diz:

Ajude a sustentar a Wikipédia e outros projetos, sem colocar a mão no bolso, e concorra a um Eee PC!
…e também a pen drives, card drives, camisetas geeks, livros e mais! O BR-Linux e o Efetividade lançaram uma campanha para ajudar a Wikimedia Foundation e outros mantenedores de projetos que usamos no dia-a-dia on-line. Se você puder doar diretamente, ou contribuir de outra forma, são sempre melhores opções. Mas se não puder, veja as regras da promoção e participe – quanto mais divulgação, maior será a doação do BR-Linux e do Efetividade, e você ainda concorre a diversos brindes!

É isso, não custa participar e, quanto mais participantes, maior a doação. E você viu os prêmios? Aquele pendrive sem tampinha combina tanto com a minha bolsa… 😉

terça-feira, 24 junho at 5:39 pm Deixe um comentário

O museu das grandes novidades

(Eu acho que já fiz um post com esse nome…)

Eu sumi e não vou dar satisfação. Não que eu ache que não deva, é que não tem coisa mais chata que aguentar gente dando satisfação, tem?

Então vamos lá. Vem coisa nova por aí… Eu ainda não vou falar o que é (porque não está pronto, isso é só um teaser), mas vem coisa nova E BOA por aí. Espero que eu dê conta das minhas expectativas (que acabam sendo maiores que as alheias, sempre) e que a novidade agrade…

Outra coisa: você, leitor paulistano, já foi à festa de São Vito, no Brás? Pois deveria. A ficazzela é ótima e o pudim é quase tão bom quando o pudim do Leblon. Sem falar nas massas, no antepasto, no vinho quente. Eu preciso voltar pra São Paulo antes do fim, pra ir de novo ao São Vito.

Falando em São Vito, meu sobrenome italiano com QU fez um banco me mandar uma correspondência me parabenizando pelos cem anos da imigração japonesa. Tá, bem que eu lembro dos olhinhos do nonno, meio puxadinhos. Enfim, parabéns pra quem teve coragem, cem anos atrás, de deixar sua terra e vir pra cá, sem internet, telefone, skype, avião. E obrigado a quem fez da Liberdade um dos lugares mais gostosos do planeta.
Adoro

sexta-feira, 20 junho at 1:31 am 6 comentários

London bridge is falling down (ou então: por que nada acontece por acaso.)

Talvez para manter minha sanidade mental, talvez porque realmente as coisas são assim, eu acredito que eu dei as voltas que eu dei na minha vida acadêmica, profissional, whatever, pra me ligar às pessoas que eu tinha que conhecer na minha vida.

Quer um exemplo? Se eu tivesse entrado direto na Psicologia, lá em 1997, eu não teria conhecido o Cris, nem os Andrés, o Hugo Victor nem tanta gente bacana que vira e mexe pipoca aqui no meu MSN, sob a etiquetinha #cIRCo. E se eu tivesse entrado na Psicologia, ao invés de entrar na Informática, eu não conheceria o Clodis, meu companheiro para programas cabeça em Cascavel. E, muito provavelmente, não teria visto o Cirque du Soleil em 2006. Provavelmente, se eu tivesse tomado outro caminho eu também não conheceria o Ian, o Inagaki, o Marmota – e como eu ia encontrar o Lello se eu não conhecesse o Marmota? Minha vida ia ser muito, muito, muito chata.

Essa volta toda é pra dizer que eu acredito que se eu demorei tanto assim pra entrar na Psicologia foi porque eu precisava ser aluna do Rafa. E virar amiga dele. Tipo best friend mesmo. O Rafa, além de ser meu amigo-de-fé-irmão-camarada, informante de congressos e outros encontros do povo das Humanas (porque ele não é SÓ Psicólogo, ele é MUITO MAIS que isso), parceiro favorito de venenos – por msn ou em volta de uma mesa – é meu fornecedor oficial de músicas fofas.

E aí ele me manda um e-mail MANDANDO (porque ele manda, ele tem esse poder) eu baixar o tal do This is Ivy League. Nas palavras dele:

E pra quem ficou com saudades do Belle and Sebastian do início, quando ecoavam as influências de Simon & Garfunkel e The Mamas and The Papas:

This is Ivy League: http://rapidshare.com/files/114230403/ivy_league.zip

Como eu tenho saudades do Belle and Sebastian do início, quando ecoavam as influências de Simon & Garfunkel e The Mamas and The Papas, baixei na hora. Só que, cabeção que eu sou, esqueci de descompactar e ouvir o arquivo. Até hoje a tarde quando ele me deu um puxão de orelha do tipo “você não vai ouvir, cabeção?”. Resultado: o disco não saiu do media player até agora. Porque é lindo, porque é ótemo, porque realmente lembra o B & S do começo, com as influências de Simon & Garfunkel e The Mamas and The Papas.

Já pensou se eu não tivesse o Rafa pra me apresentar essas coisas lindas? Melhor nem pensar, eu ia morrer ouvindo FM de Cascavel. Blearght.

domingo, 18 maio at 9:21 pm 6 comentários

O meu lado B

A Sam me convocou para escrever sobre o meu lado B. Eu precisava mesmo de um convite pra escrever aqui, eu ando meio preguiçosa dessas coisas de internet.

O meu lado B tomou conta de mim nos últimos dias. O meu lado B sempre aparece quando eu tenho demandas não-virtuais que me tiram o sono. Não é uma insônia ruim, mas me afasta dessa vida virtual que eu tanto gosto.

O meu lado B não gosta de internet. Tem preguiça de ler os feeds que acumulam no Google Reader. Não responde e-mail. Fica offline ou ausente no MSN. Só quer saber de usar a internet para conversar com o namorado, mas é porque o telefone é muito caro e não dá pra conversar na rede da varanda.

E quando eu me afasto da internet, o meu lado B me leva a fazer cada coisa… Começa com faxina. Sempre que o meu lado B aparece, a faxina corre solta aqui em casa: no guarda-roupa, na biblioteca, no gaveteiro, nos calçados. Nunca vi uma pessoa tão desapegada quanto o meu lado B. Foi ele quem vendeu meu piano, e agora ele quer me convencer a vender minha maquina fotográfica de filme, as flautas e o todo o material de música.

Meu lado B também gosta de mexer na terra, e minha horta cresce linda. E de fazer sobremesa. E não liga nem um pouco pra dieta, quer comer aquele doce de manjericão que está na geladeira de uma vez só. O meu lado B adora creme de leite. O meu lado B acha que é melhor viver dez anos a mil que mil anos a dez. O meu lado B é meio doido, mas se não fosse ele, as pessoas iam me achar muito, muito chata.

Meu lado B é assim: complicadinho, complicadinho, mas no fundo é boa pessoa. E, mesmo não sendo a parte mais internética de mim, quer escrever um post pra blogagem coletiva do Dia da Terra e manter o Deusa Doméstica funcionando, com pelo menos um post por semana. Meu lado B valoriza muito as pessoas que entraram nessa minha vida por causa da internet, e quer encontrar com elas para tomar um café – de átomos – sempre que puder.

segunda-feira, 21 abril at 2:16 pm 6 comentários

Saturno, sê bem vindo.

Eu tinha medo de fazer vinte e nove. Mais que de fazer trinta. Por causa de tudo que falavam do retorno de Saturno, eu ficava pensando que seria um inferno astral que durasse, sei lá, um ano e meio. E também tinha aquela coisa de “perder vinte em vinte e nove amizades”, coisa horrível para quem conta os amigos nos dedos. E isso me dava um medo tão grande que já não era medo: era pavor. E gerava crises de choro na madrugada (de pé na sacada, olhando a cidade – coisa de filme).

Fato é que de uns tempos pra cá (e meus sete leitores habituais já devem estar cansados de ler isso), as coisa começaram a fazer sentido. Epifania, aquela coisa. E eu não estou com medo dos vinte e nove. Novas idéias, novas oportunidades, novas pessoas: é tanta coisa boa acontecendo na minha vida que Saturno vem embalado em ventos bons.

Isso tem a ver com o desejo, com força, com vontade. Que movem a gente, fazem as coisas acontecerem. Falta de desejo só não é pior que morte porque você sempre pode reacender o desejo. Às vezes isso não acontece por vontade própria, mas alguma coisa vem e plim! reacende o desejo. Pode ser um novo amigo, um novo emprego, até uma doença. Ou então uma coisa tão boba como ver um barquinho navegando na baía de Guanabara. O fato é que quando a gente ouve o desejo (que fica ali, gritando o tempo todo, mesmo que a gente esteja surdo), a vida toma cor e o cotidiano deixa de ser fardo.

É por isso que eu vou fazer igual ao Lello e, hoje, vou ouvir Vinte e Nove repetidas vezes. Umas vinte e nove, pra ser bem marcante. Porque, por mais que as coisas não estejam totalmente arrumadinhas agora, o caminho está tão aberto que é impossível não andar. E daqui pra frente, o que vem é perfeição.

sábado, 12 abril at 10:33 pm 6 comentários

Posts antigos


Agenda

agosto 2017
D S T Q Q S S
« ago    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Posts by Month

Posts by Category