Posts filed under ‘natureza’

Porque hoje é o dia da terra

Hoje, dia 22 de abril, é o Dia da Terra. O pessoal do Faça sua parte está propondo uma postagem coletiva sobre o assunto. Nas palavras deles:

Coloque um pouco [de terra] na língua. Não tenha receio! Lembre-se da infância, de quando isso era natural; de quando nada dessa nossa cultura ainda havia sido colocada em você! De quando a natureza e você eram uma coisa só. De quando você e sua mãe eram uma coisa só!

Estranho, né? Pois é assim que somos em relação à Terra. Estranhos. Como num país cuja língua e costumes não entendemos. Nesse feriado, aproveite para sentir a Terra. E depois escreva um post sobre isso. Publique no dia 22.

Escreva sobre a Terra, o que quiser, mas tente escrever, também, sobre os seus sentimentos, sobre o quanto você se sente afastado ou integrado a ela.

Como você pisa na Terra?

Esse post é a minha contribuição para o Dia da Terra. Como transformar a nossa casa em um pedaço menos estranho, menos agressivo, menos poluente? Como viver bem sem destruir o planeta em que vivemos? Eu sei que nós podemos mudar coisas pequenas, mas ainda tenho medo das grandes. E fico com medo quando vejo a Lucia Malla falar em tipping point – a hora que a coisa vai degringolar de vez. E fico triste quando olho pro lado e vejo gente fechando as cortinas e acendendo a luz.

Como ajudar a preservar nosso planeta?

A Carol Costa está fazendo uma experiência muito interessante e contando tudo no site da revista Bons Fluidos. Por um mês, ela vai mudar tomar dez atitudes que podem ajudar a preservar o meio ambiente, se todo mundo tentar junto. Eu acho que ela não vai ficar chateada se eu colocar quais são essas atitudes aqui:

  1. Tirar os aparelhos do stand by
  2. Utilizar os dois lados do papel
  3. Não pegar sacolas plásticas
  4. Separar e reciclar o lixo
  5. Substituir produtos de limpeza tóxicos por biodegradáveis ou naturais
  6. Fazer uma composteira
  7. Reutilizar água da máquina de lavar
  8. Consumir menos
  9. Não comer carne
  10. Trocar o carro por bicicleta ou transporte público

Essa é a lista dela, você pode fazer a sua. Não precisa ter dez atitudes, podem ser cinco. Ou uma. Escovar os dentes com um copo de água, por exemplo. Desligar o chuveiro enquanto ensaboa o corpo e os cabelos. Levar a sua sacola de pano para o mercado, pelamordedeus, isso é tão fácil e a gente ainda é tão resistente.

O Afonso falou lá no Faça Sua Parte e eu repito aqui: mudar hábitos é mais fácil do que a gente pensa. No começo do ano eu me propus a tirar os aparelhos do stand by. Recuperei os telefones com fio (que não consomem energia) e deixei só um telefone sem fio na casa. O telefone sem fio não pode ficar fora da tomada mas o resto (televisão, dvd, microondas, forno elétrico, computador, som, carregador de celular…) pode. A noite eu passo uma “revista” pela casa, procurando deixar só os imprescindíveis ligados (telefone – geladeira). E tem sido assim desde janeiro. Já virou hábito, como escovar os dentes ou passar creme nos pés. Agora imagine o impacto de toda a população reduzindo 20% no consumo de energia.

Então chegou a hora de responder o Afonso: como você pisa na terra? Qual o tamanho da pegada que você deixa? Quais atitudes você vai mudar para desacelerar o processo de destruição do planeta?

p.s.: O Recanto da Deusa Doméstica também tá nessa!

terça-feira, 22 abril at 3:12 pm 8 comentários

Aqui no meu quintal

No meu quintal passam dois riozinhos, que se encontram e viram um só. O menor é cenário para uma das coisas mais lindas que eu já vi na minha vida. É impossível cansar de olhar para aquelas corredeiras, para aquelas pedras. Já perdi a conta das vezes que eu fiquei parada, olhando e ouvindo a água correr. É um lugar lindo, que eu faço questão de mostrar para todas as pessoas que eu gosto. É muito egoísmo não mostrar para todo mundo a beleza que eu tenho no meu quintal.

Aqui no meu quintal

O rio maior, que segue até a casa dos vizinhos, é muito importante para toda a minha comunidade. É nele que ficam as rodas d’água que movem os moinhos e os geradores de energia aqui para casa. A gente também aproveita a água para pescar, tomar banho no calor e dar umas voltinhas de bote. Tudo isso procurando respeitar ao máximo os outros seres que vivem ali: os peixes, aves e plantas. É lógico que não é todo mundo que respeita, mas a gente está sempre de olho para evitar que abusadores cheguem e destruam o que a natureza nos deu.

A visão do meu quintal

Falando em plantas, é importante falar do bosque que existe perto do riozinho. De vez em quando umas pessoas tentam abrir uma trilha no meio desse bosque para cortar caminho, mas a lei diz que não pode. Além de ser importante por proteger nossos riozinhos, tem vários animais e plantas que só vivem nesse bosque. Mas a gente pode visitar o bosque sempre que quer, caminhar pelas trilhas que já existem e andar de bicicleta lá dentro. É uma delícia.

Ah, também tem o meu vizinho. É super bacana visitar esse meu vizinho, que sempre tem coisinhas gostosas para nos receber. Seja um chocolatinho, um queijinho, um vinho. E os alfajores, meu vizinho adora fazer alfajores e faz os mais gostosos do universo – o que é perfeitamente compreensível, já que foi ele quem inventou. Eu morro de saudades de visitar esse meu vizinho e, confesso, é porque eu sempre sou muito bem tratada quando vou comer por lá!

Garganta do Diabo

Assim é o meu quintal. Eu posso morar numa casa que não tem lá muita graça, mas o quintal é dos mais lindos do mundo. E é por isso que eu gosto de mostrar o meu quintal para todo mundo que é importante para mim. Como eu disse antes, seria muito egoísmo não dividir com ninguém uma das coisas mais lindas que a natureza me deu.

sábado, 16 fevereiro at 4:56 pm 5 comentários

E agora, José?

Again and again.

quarta-feira, 28 fevereiro at 9:36 pm Deixe um comentário

Você faz a sua parte?

Depois da divulgação do relatório da ONU sobre o Aquecimento Global entrou em voga falar sobre o desmatamento da Amazônia, a poluição dos oceanos, o aumento do nível do mar. Tudo muito lindo, muito importante, muito grande. E muito abstrato também. A discussão se dissipou logo: coisas terríveis aconteceram, veio o Carnaval. Mas não se pode esquecer disso.

Uma birra que eu sempre tive, quando se fala em meio ambiente, é de que os problemas apontados geralmente estão além das capacidades individuais. Como eu, em Cascavel, posso impedir a destruição das barreiras de corais? Como uma pessoa que mora em São Paulo pode impedir o desmatamento na Amazônia? E as calotas polares? O que eu posso fazer para impedir o seu derretimento??

Talvez motivada pela mesma birra, a Lucia Malla propôs, no último dia 06, o Meme das Atitudes Ecoconscientes. A idéia é:

“Poste as 3 atitudes ecoconscientes que você praticou/pratica/pretende praticar na sua vida (ou na sua casa, no seu trabalho, no boteco, etc.) para melhorar a situação ambiental do planeta Terra.”

Já passou da hora da gente parar para pensar nisso. E começar a agir, também. O que você faz para melhorar a situação ambiental?

Eu faço:

1. Economia de energia elétrica e de água: Algumas casas parecem uma árvore de natal, cheia de leds (aquelas lâmpadinhas de stand-by) acesos. Para quê? A conta é fácil: se há luz ou dissipa calor, há consumo de energia. E geralmente é inútil. Preciso falar da água? 20l de água para escovar os dentes com a torneira aberta? Ensaboar os cabelos com o chuveiro ligado? Você precisa mesmo disso? Economizar água e energia elétrica é fundamental para a diminuição da demanda e pela preservação do meio ambiente, além de ser bom para o seu bolso!

2. Caminhar, pegar/dar carona, usar o transporte público: Eu procuro fazer tudo que é possível próximo de casa. Academia, mercado, compras. Quanto mais eu caminhar, menos combustível utilizar, melhor – inclusive para o meu bolso. As únicas coisas que são impossíveis para mim é ir a pé até a faculdade e até a casa da minha mãe. Inteligência para saber quando e como usar o carro é fundamental – nada de ficar dando voltinha à toa!

3. Comer pouco, evitar o consumo de produtos industrializados ou que venham de muito longe: É, pois é. Se você come um pacote de bolacha por dia, você joga uma embalagem por dia. Se você come um pacote de bolacha por mês, é uma por mês. Entendeu a conta? Consumir produtos naturais e que venham de localidades próximas à sua cidade também diminui a demanda por transporte (que no Brasil é feito basicamente por caminhões) e é muito mais saudável, certo?

Bonus track: Fuja das embalagens!!! Você já parou para pensar quantas sacolinhas/saquinhos plásticos vão parar no lixo por sua causa em um ano? Em dez anos? Em toda a sua vida? Pode ser difícil solucionar o problema dos absorventes higiênicos (solução ) e das fraldas descartáveis (sempre há as de pano), então que tal economizar no que é possível? Coloque as batatas, as cenouras e as cebolas na mesma sacolinha. Leve sua sacola de feira ao mercado. Não compre nada que venha em embalagem de isopor. Nada de acumular lixo por aí. O meio ambiente e o seu futuro agradecem!

Agora é sua vez. Quais suas três dicas para melhorar o nosso mundinho?


(O que você está fazendo aqui?)

sábado, 24 fevereiro at 2:10 am 9 comentários

Isso é muito importante.

Imagine a cena: você está bonitinho na sua casa, sentadinho, assistindo a sua TV. Aí começa a dar interferência na antena (lembra do tempo da antena?) e vc muda a sua TV de lugar. Por conta dessa mudança, você acaba mudando também o sofá, a mesa de centro e a estante de lugar.

Só que no lugar em que você monta a sua “nova sala” já passavam alguns outros seres, mais poderosos que você. E eles se incomodam. (É importante dizer que foram esses seres que fizeram sua TV ter interferência.) E resolvem te atacar, matar seus pais e seus filhos. Por quê? Porque você pediu licença para assistir a TV.

 Absurdo?

É o que estão fazendo com os tubarões no Recife. Eu não sou bióloga. A Lucia Malla é, e explica muito melhor o que acontece por lá. O fato é que agora resolveram caçar “preventivamente” os tubarões para impedir ataques. (A única vez que eu vi um tubarão vir até a praia propositalmente para atacar foi num desenho do Johnny Bravo.)

Então, se depois de ler o que a Lucia escreve você achou isso tão absurdo quanto eu achei, assine a petição online pelo fim da caça aos tubarões. Não há garantia nenhuma que isso vá resolver, ou terminar com a caça, mas é uma forma de se manifestar. Pelo menos eles ficarão sabendo que nem todo mundo concorda com essa barbaridade.

terça-feira, 28 novembro at 1:29 pm 1 comentário


Agenda

agosto 2017
D S T Q Q S S
« ago    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Posts by Month

Posts by Category