Posts filed under ‘Blog’

O Efetividade.net faz mais um aniversário…

E daí que eu conheço o Augusto desde antes de ontem, quando nós frequentávamos o mesmo canal de IRC. Mas ele não era Augusto, era Brain, e vivia dizendo que “op não é status, é responsabilidade”. Naquela época já era visível que ele era um cara de boas idéias…

Até que um dia, sem mais nem menos, eu caí no Efetividade. E quem faz o Efetividade? O Augusto, olha só! O Efetividade é um dos blogs mais úteis desse Brasil: procure um post ali que seja irrelevante, você não vai achar.

Enfim, enfim… Ano passado, a promoção de aniversário do Efetividade pedia que as pessoas escrevessem posts na temática do blog: eu ganhei o segundo lugar com um post do Deusa Doméstica e ganhei um livro bem bacana: Lifehacker – 88 tech tricks to turbocharge your day. Quando o Augusto anunciou a promoção desse ano, eu fiquei toda faceira esperando.

Esse ano, além de presentear os leitores, o Augusto vai contribuir com dois projetos que facilitam o nosso dia-a-dia online. Um deles é a Wikipedia e o outro vai ser escolhido pelos participantes da promoção. Para participar é muito fácil: basta você fazer um post no seu blog indicando a promoção. Os vencedores serão sorteados e os prêmios, olha o que o Augusto diz:

Ajude a sustentar a Wikipédia e outros projetos, sem colocar a mão no bolso, e concorra a um Eee PC!
…e também a pen drives, card drives, camisetas geeks, livros e mais! O BR-Linux e o Efetividade lançaram uma campanha para ajudar a Wikimedia Foundation e outros mantenedores de projetos que usamos no dia-a-dia on-line. Se você puder doar diretamente, ou contribuir de outra forma, são sempre melhores opções. Mas se não puder, veja as regras da promoção e participe – quanto mais divulgação, maior será a doação do BR-Linux e do Efetividade, e você ainda concorre a diversos brindes!

É isso, não custa participar e, quanto mais participantes, maior a doação. E você viu os prêmios? Aquele pendrive sem tampinha combina tanto com a minha bolsa… 😉

terça-feira, 24 junho at 5:39 pm Deixe um comentário

O novo feed do Enquanto Seu Blog não vem

Se você visita o site, deve ter percebido ali do lado um botãozinho de RSS. Pois é, agora o Enquanto Seu Blog não vem tem um feed no Feedburner. Assine o feed para receber as atualizações sem precisar vir até aqui.

Agora, se você lê o post pelo feed do wordpress, por favor, mude para o feed do Feedburner. É muito mais prático e mais fácil de controlar! E o endereço é fácil, fácil, quer ver?

http://feeds.feedburner.com/enquantoseublognaovem

Eu agradeço enormemente!

terça-feira, 12 fevereiro at 8:47 pm 3 comentários

Sobre tudo, sobre nada (da vida nos últimos dias)

Ainda há pouco no MSN a Lu me perguntou: “Mas você não vai pro Square?” Assim, como se a gente fosse juntas pro Square todas as semanas, como se ela pelo menos conhecesse o Square. Do mesmo jeito que eu falo “Feliz Círio” pra ela e ando curtindo muito o Círio aqui de longe, seja nas fotos do blog dela, nos posts ou no que a gente conversa no MSN. A Lu me conhece mais que muita gente que mora no meu prédio, mesmo a gente estando cada uma em uma ponta do Brasil.

Do mesmo jeito a Babs. Eu na minha faculdade aqui, ela na faculdade dela lá em Curitiba. E a gente troca idéias, livros, filmes, músicas. Quando a coisa aperta, ela é uma das pessoas que mais me ouve – como a Lu.

Eu ainda poderia citar muita gente aqui: a Verox, o Rafa, a Pat, a Elis, o Erick, a Mônica, o Ian, e mesmo assim seria injusta porque falta gente. Pessoas com quem eu tenho laços fortes, muito mais fortes que os laços que eu tenho com grande parte dos meus vizinhos ou das pessoas que eu conheço e moram aqui em Cascavel. Pessoas que são as primeiras em que eu penso quando quero tomar um suco ou um café – como hoje a tarde. E que eu não posso chamar porque estão longe.

Eu queria que inventassem logo um jeito novo de se teleportar, porque avião é muito demorado (e muito caro). Que fosse uma coisa instantânea, do tipo “Lu, vamos tomar um café?” e a Lu aparecesse aqui. Ou eu, lá. Ou nós duas, no Rio, na beira do mar. Com as nossas respectivas companhias favoritas. E depois a gente falasse “ah, vamos dar uma volta na roda gigante” e *plim* estivesse lá no Arraial do Círio.

(Lu, eu sei que já foi inventado e chama pó de pirilimpimpim. Mas não tem pra vender no Paraguay.)

Enfim…

Todo esse prelúdio é só pra dizer que não tem problema. Eu sinto saudades da Lu (e de outras pessoas) mesmo sem ter visto porque eu sei que são das melhores companhias. Eu sinto ainda mais saudades da Babs e de tanta gente mais porque eu já estive junto e sei como é bom.

Amor, amizade, isso se faz com a alma. E depois com o corpo. E depois com tudo junto.  E minha alma já está definitivamente entregue.

. . .

Que coisa mais linda o CD (?) novo do Radiohead. Alguém pode me explicar porque eu demorei tanto tempo para ouvir Radiohead?

. . .

O que eu mais tenho dito nos últimos dias: “ai, ai…” (E isso que eu tinha jurado nunca mais me meter numa dessas!)

. . .

Feliz fim de dia do Agrônomo, do Mar, do Atletismo, das Crianças e de Nossa Senhora Aparecida pra todo mundo. E Feliz Círio se eu não encontrar vocês até domingo.

sexta-feira, 12 outubro at 9:48 pm 4 comentários

Meu blog em 2012 (parte I de III)

Todo mundo sabe que meus amigos são tudo para mim. Iso significa que qualquer coisa que eles peçam é ordem. Foi assim que eu recebi uma surpresa ao olhar as estatísticas desse blog e ver nelas um post apontando sistematicamente para cá chamado “Sugestão de ‘meme’: seu blog em 2012“. Fui olhar e era ele, André Marmota Rosa, meu amigo mais viajandão me propondo um meme.

Pois bem, não sei de onde ele tirou a idéia que o “Enquanto…” estará extinto em 2012. Será do fato de que nos últimos 5 anos eu já tive 4 blogs (antes desse)? Pois então, é complicado para mim pensar onde estará esse blog em 2012. (O mundo ainda existirá em 2012?) Assim, achei melhor fazer uma restrospectiva.

Minhas aventuras na blogosfera começaram em 2002, com o Devaneios de Macabéia, hospedado no blogger.com. Era mais um blog miguxo, de posts miguxos. Servia, basicamente, para eu colocar letras de música que eu gostava e mandar recados para um ex namorado. Recados que oscilavam entre o ódio e amor, músicas que eu ouço até hoje. Pelo nome do blog nem precisaria contar, mas nessa época eu lia Clarice Lispector (e Kafka) em voz alta em um boteco, nas noites de sexta feira, junto com uma grande amiga, tomando vodka barata (a.k.a. vódega). Também não precisa falar que depois da terceira dose a leitura deixava de fluir.

Com o rompimento definitivo com o tal ex, o Devaneios deixou de existir. Foi um tempo até que eu me instalasse no blogger.br, com um template lindo feito pelo Erick, um nome engraçadinho que eu não lembro e um retrato feito pelo Ian. Não durou muito mais que um mês e eu não lembro de nada dali além do endereço (que tinha o meu nome inteiro, veja só) e do template.

Até que eu ganhei uma máquina fotográfica digital, em 2004. Metida que só, eu precisava me exibir. Era o boom do Orkut (e de outros serviços de redes de relacionamento) e apareceu o Multiply. O Multiply era (ainda é) muito mais bacana para mim que o Orkut, uma vez que mescla as funcionalidades de uma rede de relacionamento com a hospedagem de fotos, receitas, músicas, vídeos, textos. É uma pena que a adesão lá é bem menor e o meu computador resolveu um belo dia não gostar mais de conversar com ele. Desisti do multiply e mudei pro blogger.com (de novo). Não dá pra dizer que eu “desisti” do blog, só que mudei de server. Assim nasceu o “Já pra casinha!“, que durou pouco mais de um ano.

A essa altura do campeonato, a minha proposta de blogar já era outra do Devaneios. Eu não queria mais expor a minha vida, queria expor as minhas idéias. E quando percebi que aquela página linda e cor-de-rosa estava virando um diário online, well, fechei a conta.

Fiquei sem blog por menos de um ano. Comentava loucamente nos blogs amigos, alguns comentários inclusive viravam quase posts. E já estava me sentindo meio entrona: sabe aquelas pessoas que chegam na sua casa e abrem a geladeira? Pois é, estava na hora de eu arrumar uma geladeira para mim, de novo.

Foi assim que, há exatamente um ano, eu comecei aqui. O nome “Enquanto Seu Blog não vem” foi sugestão da Luluca, e é para ser cantado como a música dos três porquinhos. Aquela do “Vamos passear no bosque / enquanto seu lobo não vem”. Sim, “Seu Blog” é um personagem e eu acho que ele virá um dia.

Em 2012, quem sabe

(Continua…)

quinta-feira, 13 setembro at 12:00 pm 2 comentários

Os espertos e as criações coletivas.

Os espertos terminam o namoro, mas pedem um beijo de despedida.

Os melhores amigos do mundo são, definitivamente, os meus. Porque os meus amigos são honestos, não são espertos. E a Lu descreve os espertos como ninguém.

quinta-feira, 23 agosto at 12:03 pm 3 comentários

Power Bloggers: Luiza Voll

O Favoritos, o blog da Luiza, tem uma proposta simples e brilhante: ela dá dicas de sites bacanas espalhados pela web. É como se ela abrisse (oh!) os favoritos dela para a gente.

A Luiza me fez conhecer os cartões virtuais mais sinceros, um site que tem fotos de cafés lindos, o jogo mais fofo. Se você não tem tempo a perder, visite a Luiza agora! (Você vai perder muito tempo, mas vai se divertir bastante!

segunda-feira, 21 maio at 12:00 pm 1 comentário

Power Bloggers: Orlando Tosetto

Orlando é o Iggy Pop da blogosfera brasileira. Uma espécie de porta-voz dos desejos secretos que outras pessoas escondem. Aquele que fala as verdades, sabe?

Ele é uspiano, trabalha em uma instituição importante, é palmeirense e muito gente boa. Dessa vida que leva, ele traz coisas pro blog:

Aliás, é “comunidade” pra cá, “comunidade” pra lá; tratamos pedaços da cidade, famílias, estratos sociais como se fossem tribos. “Naquela comunidade é assim”, como se falássemos de tapuias comedores de gente. Me enche o saco. Civilização devia ser outra coisa.

Além disso, ele escreve ficção. A história de Paola Itagyba é a melhor novela dos últimos tempos. (Posso chamar de novela, Mestre?)

Os pais de Paôla passavam por aquilo que se chama uma quadra difícil. Por um lado, a filha os vinha aborrecendo: eram cuidados, gastos, cansaços, um esforço para entender os tartamudeios irritados, um esforço para consolar – cada vez menos, cada vez pior – os choros da menina. Essas circunstâncias os enchiam de um ressentimento surdo: o pai, por exemplo, achava que a surra dada nos Tamarindo encerrava satisfatoriamente as complexas obrigações cominadas à honra de um pater familias, e que, afora isso, tudo o mais que a filha podia esperar dele era um sorriso encorajador aqui e ali; a mãe sentia a falta do dinheiro que ia em remédios e fonoaudiologia, e não tinha muita paciência com as melancolias da acidentada. Os Itagyba empobreceram em tempo e em dinheiro, numa situação que figurava insolúvel.

(Será muita sacanagem colocar aqui um trecho do fim da história? Se for, perdoem-me os leitores ofendidos.)

Se eu pudesse escolher um só blogueiro para receber um milhão de dólares para escrever, ficaria difícil pacas. Se eu pudesse dividir essa quantia em porções iguais, distribuiria entre mim – que não sou hipócrita – e os outros powerbloggers dessa série (os que vieram e os que virão). Mas do Orlando eu exigiria que ele escrevesse mais, escrevesse sempre. Porque ler o Orlando é uma delícia (só comparável a tomar coca cola na Paulista em véspera de Natal na companhia do Orlando, obviamente).

quarta-feira, 9 maio at 10:00 am 6 comentários

Posts antigos


Agenda

agosto 2017
D S T Q Q S S
« ago    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Posts by Month

Posts by Category