Trocando em miúdos às avessas

sexta-feira, 14 março at 3:37 pm 6 comentários

(Aproveitando que hoje é dia da poesia.)

O primeiro livro do Pablo Neruda que eu tive foi o Veinte poemas de amor y una canción desesperada. Era uma edição de bolso, chilena. Àquela época eu estava descobrindo o que era gostar de alguém (ainda que nem de longe fosse o que eu sei que é gostar de alguém hoje em dia) e o livro acabou ficando num daqueles espólios de fim de namoro. Eu sempre pensei em ligar para ele e pedir o meu livro, mas ia ficar muito música do Chico Buarque, o que me fazia desistir.

Até que, no começo desse ano, dois grandes amigos foram para o Chile. Como eu sabia que a casa do Pablo Neruda era um dos motivos para a viagem deles, eu não resisti e fiz uma encomenda. Pedi um novo Veinte poemas de amor y una canción desesperada, que dessa vez seria ainda mais especial: viria direto da Chascona. Bom, pelo menos era o que eu acreditava quando fiz o pedido.

Foi no último fim de semana que o meu livro chegou aqui. Meus amigos me enviaram através de um portador muito especial. O livro não poderia ter chegado até mim de forma mais apropriada: junto com ele, veio a sensação mais real de gostar de alguém, de uma forma que eu jamais poderia imaginar. E, se há muito tempo o meu Neruda foi levado para nem sequer ser lido, hoje ele está comigo de volta. E junto com ele a maior certeza desse mundo:

Quiero hacer contigo
lo que la primavera hace con los cerezos.

Entry filed under: amor, cultura, poesia, umbiguices, vida. Tags: .

Melhor pra mim Clichê estereotípico: Um pouco de poesia não faz mal a ninguém

6 Comentários Add your own

  • 1. Luciana  |  sexta-feira, 14 março às 3:50 pm

    Que vcs leiam juntos muitos e muitos poemas de amor, muito mais que esses 20 e essa canção desesperada.😉

    Responder
  • 2. Lello Lopes  |  sexta-feira, 14 março às 4:41 pm

    Já estamos vivendo um poema de amor sem fim. E essa certeza eu também tenho. Um grande beijo, cheio de poesia.
    Do seu namorado.

    Responder
  • 3. Patricia Carvoeiro  |  sexta-feira, 14 março às 8:58 pm

    Carla, espólios de fim de namoro são mesmo terríveis e indigestos, né?

    *************************
    E que linda história vocês podem construir daqui pra frente, sendo inspirada (e originando) milhares, milhões de poemas, de haicais, de redondilhas e sonetos.😉

    Responder
  • 4. Marília  |  sexta-feira, 14 março às 10:20 pm

    Muito bom receber encomendas esperadas… Melhor ainda quando trazidas pela pessoa certa!😉

    Responder
  • 5. fatima  |  sexta-feira, 14 março às 11:52 pm

    Carla:

    Olá! Compartilho contigo o gosto por dito livro. Gosto especialmente do:
    ‘é preciso contar seus cabelos’
    Acho belíssimo!
    Abraços!😉

    Responder
  • 6. Elis Marchioni  |  segunda-feira, 17 março às 5:30 pm

    O que vou comentar aqui nada tem a ver com o Neruda, mas eu me lembrei daquela cena do filme A Casa do Lago, em que a personagem da Sandra Bullock tem seu livro (da Jane Austen) de volta depois de muito tempo e de uma forma muito especial.

    Uau, e que surpresa saber que você está namorando, menina!
    Fiquei megafeliz! Quero conhecer seu namorado, viu?
    Post divino, parabéns.
    Beijo.

    Responder

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Agenda

março 2008
D S T Q Q S S
« fev   abr »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Most Recent Posts


%d blogueiros gostam disto: