Os 5 melhores beijos que eu NÃO dei

quinta-feira, 1 março at 4:24 pm 3 comentários

(Original daqui)

2005: Depois de dois anos sem se falar, de oito anos sem se ver, finalmente eu ia te encontrar. Ansiedade maluca, dezenove telefonemas para a melhor amiga. Eu te conhecia, mas te sentia diferente do cara que ia casar comigo aos 25 anos. Banho demorado, muitas provas de roupa, finalmente era hora de ir. Ansiedade aos picos. E o medo? Quase desisto na hora de pegar o táxi, quase desisto na fila. Eu, que não espero nem cinco minutos, fico duas horas na fila pra te ver. E sozinha. Ah, já falei que por sua causa eu aprendi a ir sozinha para a balada? Nas duas horas de fila, agüento aquela gente metida da tua cidade que nem conversa com estranho, nem responde quando estranho puxa papo. O grupo da frente era grande: dez pessoas. Eu, sozinha, pude passar antes. Entrei. O lugar estava escuro e o som muito alto. Lugar pequeno, bem diferente do que eu imaginava. Mesmo assim, foi passar os olhos e te ver. Você não era tão bonito quanto nos meus sonhos: era mais. Muito mais. E nem me via. Cantava Boys don´t cry. Hoje, quando a saudade bate, eu canto e lembro de você. Deixei um bilhete, na esperança de você me reconhecer. Mais fila, dessa vez para o banheiro. Fila no bar. Fila, fila, muita fila. Numa dessas filas você passa, me pega na cintura e me beija. Um beijo Red Label. O mais esperado da minha vida.

1991: Era meu aniversário e a escola toda me perseguia com punhados de farinha na mão. Aviso de mãe: não saia da escola. Aviso de diretora: se sair, o problema é seu. Mas eu tinha fome, não agüentava mais andar naquele espaço ridículo de nove metros quadrados em que o colégio inteiro tinha que esperar para ir embora quando chovia. Você, já na sétima série, tinha aula até meio dia. Num momento de desespero quase total, vou ao banheiro lavar o rosto. Você passa por mim. Me dá parabéns e um beijo, no rosto. Me acalma e eu fico sentada, quieta, sorrindo feito boba. Teu sorriso me ilumina até hoje.

1998: Depois da primeira briga, o namorado viaja com a família. Encontro de família, aquela coisa meio excursão. E eu, que ainda não sou família, fico aqui. Vou torcer no concurso de Miss. Festa, muita festa. REM, B 52´s, Pixies e um dj que tocava tudo o que nós pedíamos. O povo todo da faculdade dançando junto – sem falar em prova de Cálculo. Você chega perto de mim, passa a mão na minha cintura e a gente dança. Os amigos do namorado começam a se ouriçar, sentindo o território ameaçado. Eu vou ao banheiro, você me segue. Na metade do caminho você me puxa. Um beijo roubado, eu saio correndo. Chamo os amigos e vamos todos embora.

2002: Você estava de mudança. Aqui não era mais o seu lugar. Eu, odiando a faculdade para não perder o costume, te peço pra não ir. Eu tenho medo de ir junto. Você me chama, me pede por favor. Diz que a faculdade não é para mim mesmo. Mas eu preciso me formar. No meio da discussão você me beija, num misto de encorajamento e carinho e força e pedido. Os teus beijos sempre me deixam assim, sem palavras. Toca o telefone. Eu acordo e não te acho entre os travesseiros. Não devia ter deixado você ir embora.

2000: Cansados de tanta caminhada, depois de uma noite festa, a gente volta pra tua casa. Você, como um lord inglês, serve chá com leite. Aproveita e faz torradas, para matar a nossa fome. Teresa Salgueiro canta ao fundo. No teu colo eu encontro o conforto que eu procuro a vida toda. E ficamos aí, parados, inertes, numa agitação profunda, que só os melhores amores podem causar. Eu te amo, você me ama. Um amor que eu nunca senti. Fecho os olhos para escutar tua voz me dizendo que nos meus olhos você vê o mar. Na tua voz eu sinto o mar. Tempos depois, com a notícia do teu casamento, eu choro. Até hoje, ao encontrar pessoas que lembram você, eu apaixono. Será que você ainda lembra de mim?

Anúncios

Entry filed under: amor, umbiguices, viagem.

E agora, José? O mundo não é uma Barraca do Beijo

3 Comentários Add your own

  • 1. Donizetti  |  domingo, 4 março às 10:41 am

    Gostei muito dos seus não beijos, não tem como não nos identificarmos com essas histórias, né? Mas o comentário é mesmo para dizer que seu layout é um dos meus favoritos!

    Re: Fora que eu achei tri divertido escrever o texto. Memórias, memórias, memórias =) O layout é padrão do WP, nem achei que ia fazer tanto sucesso! Mas que bom que vc gostou. Bjos.

    Responder
  • 2. Fagner Souza  |  sexta-feira, 9 março às 6:01 pm

    Belo texto…
    Meus parabéns!!

    Responder
  • 3. Doda  |  segunda-feira, 12 março às 6:33 pm

    vi seu link algumas vezes em outros blogs, gostava do nome, mas ainda não tinha clicado pra conferir.

    meu amigo ian black que me perdoe, mas a sua lista de 5 beijos não dados foi a melhor.

    o empreendimento com cara de 2005 não prosperou até hoje? 🙂

    bjs.

    Re: Cara, foram 5 beijos não dados. Nenhum empreendimento prosperou. Mas é assim, ame o próximo. Sempre haverá um próximo (hohoho).
    Obrigada pela visita, apareça sempre!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Agenda

março 2007
D S T Q Q S S
« fev   abr »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Most Recent Posts


%d blogueiros gostam disto: