Sobre as eleições

terça-feira, 26 setembro at 8:46 pm 1 comentário

Alexandre Inagaki participou de forma genial em uma blogagem coletiva sobre Ética (e sobre política) ontem, dia 25 de setembro. Não repetirei o que ele disse, apenas recomendo fortemente que você vá até lá e leia o que ele diz.

Votar nulo não anula eleição. Nulidades sim: acidentes, temporais, incêndios ou qualquer tipo de dano em mais da metade das urnas. Como eu não espero ver a barbárie no domingo, não acredito em eleição anulada. Antes que alguém se anime, lembre-se que  parte dos prédios e todo o aparato usado em eleições (urnas, cabines, cadernos de eleitores) são patrimônio público. Isso significa TODOS somos donos,  apesar de boa parte da população agir como se ninguém o fosse.

A parte da população que tem acesso à Internet tem à sua disposição vários sites para verificar as contas de campanha, o patrimônio declarado e outras informações fundamentais para escolher parte dos funcionários públicos mais bem pagos do país. Omitir-se, escolher “no chute”, é imperdoável. Não venha com churumelas depois. Não sabe onde ir? Experimente o Transparência Brasil, o Políticos do Brasil, o Contas Abertas. O Inagaki indica outros no seu post. Falta de informação não é problema. Informe também as pessoas ao seu redor, discuta a política, fale sobre ela. Elabore o seu posicionamento, aceite críticas e não leve para o lado pessoal: estamos contratando gente para a nossa empresa.

O principal argumento de quem vota nulo é que “faltam bons candidatos”. Ok. Estamos basicamente divididos entre um candidato mitológico e outro que não tem o mínimo de carisma – apesar de ser um bom administrador de crises (isso segundo uma moradora de São Paulo). Temos mais opções quando falamos em senadores e deputados, federais e estaduais. Se eu estivesse aconselhando alguém, indicaria que votasse em alguém próximo. Seja da sua cidade, do seu bairro ou da sua categoria profissional. Deputados distantes são pouco úteis na defesa dos seus interesses.  Guarde o nome, o email e o telefone dos seus deputados, saiba quem são os deputados eleitos pelo seu estado. Não é campeonato brasileiro e importa muito saber quem está lá em cima decidindo coisas por nós.

Nem assim você consegue pensar em alguém? Isso é sinal de que falta participação: na sua associação profissional ou no seu conselho de classe, no condomínio ou na associação de moradores. Sua vida política está negligenciada e eu espero que você não se orgulhe disso. Quem não faz, deixa para os outros fazerem. Quem deixa que os outros façam, não pode reclamar de muita coisa. Preste atenção e você vai ver que as categorias mais priorizadas são as melhor representadas. Lembre-se, o que é público é de todos, não de ninguém.

Quatro dias. Esse é o tempo que você tem para decidir qual é o Brasil dos próximos quatro anos. Quais leis serão aprovadas, quais reformas são primordiais, quais interesses serão priorizados. Pense bem e vote. E torça para que os próximos quatro anos sejam melhores que os últimos.

Anúncios

Entry filed under: Brasil, politica.

Tudo o que é bom deixa gosto de quero mais Clichês Estereotípicos

1 Comentário Add your own

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Agenda

setembro 2006
D S T Q Q S S
    out »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Most Recent Posts


%d blogueiros gostam disto: